acredite em você


Home Artigos As Constelações Familiares

As Constelações Familiares

Apesar de sermos donos de nossas vidas, por muitas vezes nos deparamos com situações que não compreendemos ou que fogem de nosso controle, mesmo dando o melhor de nós mesmos não conseguimos encontrar soluções.

Há algo ainda maior que nós mesmos, somos partes de sistemas, e como parte, influenciamos e somos influenciados por eles, por exemplo, nosso sistema familiar e também o sistema social. Por muitas vezes a solução está em considerar tais influencias para conseguir resolver questões que se apresentam ou estão interferindo em nossas vidas.

Muitos de nossos aprendizados e comportamentos têm origem de nosso sistema familiar e estão presentes em nosso inconsciente.  Cada família é um sistema em que todos os membros estão interligados e se influenciam mutuamente. As Constelações Familiares podem ser utilizadas para liberar tensões, revelar informações escondidas, ocultadas de nossos sentidos, tornando visíveis as dinâmicas que antes não se podiam ver e que possuem grande influência em nosso destino e nossa forma de ser.

Muitas destas dinâmicas ou emaranhamentos como chamados na Constelação Familiar provocam conflitos emocionais, problemas de relacionamentos, doenças psicossomáticas, medos, psicoses, baixa autoestima, problemas financeiros, fracassos etc.  Ao  olhar para uma situação por meio das constelações o consultante ou constelado pode obter uma nova perspectiva sobre seu problema, o que leva a uma compreensão mais profunda e curadora, ocasionando mudanças em si mesmo e no seu sistema familiar consequentemente.

Realizar uma constelação consiste em definir um grupo de representantes que representarão os elementos mais importantes do sistema familiar ( ou do sistema a ser avaliado), neste caso o sistema familiar. Após a definição de cada participante, o constelado posiciona os representantes no espaço ou campo onde ocorrerá as constelações, na posição que percebe como correta em suas relações familiares.  Os representantes assim, localizados são instruídos a não fingir ou dramatizar, mas prestar atenção em suas emoções, sensações e impulsos internos, se desejam mover-se ou manter-se no mesmo lugar.

Os representantes aos poucos vão se conectando e começam a experimentar sentimentos e sensações quando ocupam aquele espaço, posição ou papel, e mesmo não havendo nenhum vinculo com a família do constelado exprimem palavras, gestos, emoções, sensações e atitudes equivalentes do representado, como se o próprio representado estivesse presente.

Para este fenômeno,  a teoria mais aceita é teoria dos campos mórficos de Rupert Sheldrake, que afirma que existem campos de energia permitindo a transmissão de informações entre organismos de uma mesma espécie ou sistema, e uma vez que um membro deste sistema ou espécie adquire um aprendizado ou novo comportamento, este  campo morfogenético se altera  e todos os membros podem compartilhar deste conhecimento.

Os representantes também se enriquecem com esta experiência e lhes permitem mergulhar em suas próprias questões familiares. Por outro lado o representante, via de regra, possui  afinidades com o papel representado, ou até mesmo ao tema constelado. A medida que os movimentos vão acontecendo, o constelador faz as intervenções dentro do sistema familiar,  restaurando as ordens do amor, possibilitando a cura deste sistema e também mostrando soluções possíveis para  reconciliação e equilíbrio deste.  As constelações familiares mostram o quão forte e precioso é nosso sistema familiar, somos parte dele, a manifestação de várias gerações presentes no aqui e agora.

Recebemos muitas heranças de muitos destinos. Podemos escolher estar conectados com nosso sistema familiar de forma que nos fortaleça e não nos enfraqueça.

Segundo Bert Hellinger existe o amor que adoece e o amor que cura. Quando estamos conectados de forma cega e perdendo nossa identidade, estamos apenas respondendo à nossa herança transgeracional, mantendo lealdades invisíveis, pactos, compensações, para de certa forma honrar nosso clã, repetindo destinos, fracassos, enfermidades, comportamentos destrutíveis etc.  Agindo desta forma, não encontraremos soluções nem para nossos pais, nossos antepassados e nem para nós mesmos, estamos conectados com o amor que adoece.

Por outro lado podemos encontrar nosso devido lugar, seguir nosso próprio destino, mudar a história a partir de nós mesmos, co-criar nossa história familiar, promovendo mudanças para nossas futuras gerações estando conectados com o amor que cura e fortalece.

 

Agora você sabe um pouco mais sobre o que é a constelação familiar.

Faça um Curso de Constelação Familiar e descubra ainda mais !

O Relacionamento do Casal
As Constelações Familiares
Os primórdios e a Constelação Sistêmica
Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com

Receba Novidades !

Nome:
Email: